Reminiscências- parte 3

10 de fev de 2011










Eu pensei seriamente em não vir a este encontro. Mas uma curiosidade mórbida me impulsionou. Como eles estariam? Envelhecidos? Estabilizados economicamente? Felizes? O nosso elo era forte no passado. Como deixamos as mágoas corroerem nossas correntes? Talvez tudo tivesse ficado esquecido no decorrer dos anos. Mas eu não podia esquecer. E sei que não era o único.

- Não sei o que dizer.
É a resposta que dou a Bete sobre meu silêncio. Posso ver o sorrisinho no canto de seus lábios. Eu estremeço.

- Como você está bonito, Roberto!
O comentário de Fernandinha vem acompanhado por uma gargalhada. Ela espeta um pedaço de carne com um palito e leva aos lábios ainda estampados por um sorriso. 

Acho que a gargalhada de Fernandinha é a única coisa sincera entre nós.

continua...

0 comentário(s):